Gestão

Gestão em Tempos de Crise - 7 Dicas de Gestão de Crise para Pequenas Empresas

Leandro Mantelli
Escrito por Leandro Mantelli
Comece a montar sua primeira peça para o sucesso

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Nesse artigo você vai aprender que ter uma boa gestão em tempos de crise não é nenhum bicho de 7 cabeças. Mas requer esforço, dedicação e uma boa dose de paciência.

Todos sabemos que há uma nuvem de incertezas sobre 2020, e que ela representa um desafio a mais para as empresas que precisam se adequar aos novos tempos de ajustes.

Gestão em Tempos de Crise – Um Desafio Impossível?

gestão em tempos de crise

Afinal de contas, essa pandemia nos pegou a todos de surpresa, nos obrigando a fechar nossas portas e correr atrás de alternativas.

A crise econômica está aí e as empresas que quiserem sobreviver à ela devem se preparar.

Falando em “se preparar”, leia esse artigo sobre o curso Fórmula Negócio Online para saber como aplicá-lo em sua empresa.

Em tempos de crise, a eficiência das empresas é colocada à prova. Não somente das empresas, mas dos gestores, e de todo o modelo de negócio.

As decisões precisam ser mais assertivas e, para isso, automatizar e racionalizar os processos – além de ter as informações necessárias e corretas para a tomada de decisões – é fundamental.

Também é o momento de trazer toda a empresa para o “seu lado”, se tornar um líder admirado, e despertar o lado empreendedor de todos.

Aposte na Relação com Seus Clientes

A relação com os clientes, especialmente neste cenário, precisa ser de proximidade real, pois uma gestão em tempos de crise exige estar lado a lado para conhecer melhor suas particularidades e evoluir continuamente para atendê-los cada vez melhor.

Mas, não só “a”tendê-los, o objetivo é realmente “en”tendê-los para poder encontrar a melhor solução para eles e, assim, se destacar.

Eu diria que é tão importante entendê-los inclusive para identificar quais clientes podem estar trazendo prejuízo para sua empresa e, se necessário, ter a coragem de “demití-los”.

Estar próximos dos clientes possibilita ainda uma oportunidade muito preciosa:

  • Identificar necessidades ocultas;
  • Possibilidades de melhorias e
  • Soluções dos seus problemas.

E é isso que subsidia a inovação.

Inovação: é Agora ou Nunca

Se inovação é essencial para o crescimento de qualquer empresa, em tempos de crise, ela vira palavra de ordem.

E para que as pequenas empresas possam se fortalecer nesses tempos e transformar os obstáculos em oportunidades inovadoras, aqui vão algumas dicas para os gestores:

1. Interaja e misture-se

Aqui vale realmente o velho ditado “a união faz a força”. É fundamental que as pequenas empresas se aglutinem e com isso construam benefícios mútuos.

Seja com a criação de um grupo de compras para barganhar melhores preços e condições ou para licenciamento de marcas.

Nesse artigo sobre como trabalhar em casa eu explico como fazer – e a importância disso – um grupo Master Mind para que várias cabeças empreendedoras possam pensar juntas todos os problemas comuns.

A ordem é misturar-se com as outras empresas – esse é um dos segredos primordiais para uma boa gestão em tempos de crise. Isolar-se e ficar de escanteio são grandes erros para a pequena empresa.

Se você tem dificuldade em tomar essa iniciativa, meu artigo sobre networking pode te dar um caminho. Ele é mais voltado à eventos. Mas suas dicas se aplicam a esse momento de crise, também.

2. Oxigene-se:

O momento pede que o empresário abra sua mente e coloque-se aberto a novos conceitos e novos conhecimentos.

Para uma boa gestão em tempos de crise muito importante buscar por aprimoramento, seja por meio de palestras, treinamentos ou leituras.

Recomendo que você visite periodicamente o site do SEBRAE do seu estado para saber o que está acontecendo.

Aliás, essa dica serve tanto para você manter-se bem informado, como para mostrar-se para outros empreendedores no mesmo barco que você.

Pois, mesmo que a palestra seja online, a grande maioria mantém comentários abertos, e essa é a oportunidade ideal para você aparecer.

Basta ficar atento às perguntas e sair respondendo todas as que você souber.

Isso colocará você em destaque no grupo e fará com que outras pessoas comecem a lhe chamar no privado. Daí é só seguir os passos que eu ensino no artigo sobre networking e colher os frutos.

Só uma dica importantíssima, NUNCA VENDA nada nessas palestras online, apenas responda com honestidade as dúvidas das pessoas. Deixe seu pitch para quem pedir por ele.

Acredite, a venda virá naturalmente se você fizer isso com maestria.

Para  que o gestor tome decisões assertivas, é necessário que ele saiba construir um bom panorama, o que é conquistado facilmente pelo contínuo aprimoramento.

Inclusive, quando você está bem informado fica muito mais fácil encontrar as oportunidades de negócios que passam bem debaixo do seu nariz.

3. Melhore os processos e faça mais:

É preciso fazer mais com menos, por isso, pensar nos processos que podem ser racionalizados é fundamental.

É importante ficar atento, pois essas movimentações podem demandar investimento, uma vez que serão necessários treinamentos e melhorias que possibilitem a mudança do quadro atual e isso requer uma visão ampla do negócio.

Por isso, para melhorar sua gestão em tempos de crise, fique atento ao quanto você pode investir – se é que pode – nesse momento.

4. Melhore a gestão e tenha o controle do seu negócio:

Evoluir a inteligência sobre o negócio e ter as rédeas da empresa em suas mãos é muito importante, especialmente nesses momentos de crise.

O gestor da pequena empresa precisa ter indicadores que norteiem a tomada de decisões e as definições estratégicas do negócio, como margem de contribuição ou sua lucratividade por linha de produto, região ou vendedor, para conseguir promover as mudanças que o cenário econômico demanda em tempo hábil.

5. Inove – Mas com Organização e Conhecimento:

Mudanças pedem mudanças. Que atitudes você tomou frente às mudanças do cenário econômico ou frente ao modo dos seus concorrentes agirem no mercado?

Aí está a chave para inovar. Mas sem organização e conhecimento de gestão, qualquer inovação promovida estará sujeita à tentativa e erro.

Por isso é preciso ter a inteligência do negócio em mãos e assim direcionar as mudanças.

Lembre-se que a inovação não chega a você numa solicitação pronta, você precisará estar junto do seu cliente e atento ao mercado.

6. Comunique-se – Escolha Como Quer Ser Visto

Outro fator importante é a comunicação, como sua marca está posicionada e como seu público está te encontrando?

Em tempos de crise e distanciamento social, a internet é a ferramenta mais importante que você terá a seu favor.

Se sua empresa já tem um site você pode fazer melhorias e atualizações, se ainda não tem é fundamental buscar uma agência web de criação de sites e explorar todo esse potencial de mercado online.

Além disso, uma boa agência vai cuidar da forma como sua empresa é vista, é aquela famosa: “a primeira impressão é a que fica“!

Afinal “se sua empresa não está na internet, ela não existe“.

7. Cuidado com o Capital de Giro e o Fluxo de Caixa

A dinâmica do capital de giro impacta diretamente no fluxo de caixa. Cuidar disso é fundamental para uma boa gestão em tempos de crise.

Geralmente, empresas em fase de expansão precisam de investimentos adicionais, uma vez que a previsão de um faturamento maior irá refletir em um volume maior de contas a pagar.

A melhor forma de cobrir a necessidade adicional de capital de giro é usar o lucro gerado pela própria empresa.

É um dinheiro mais “barato” que os produtos oferecidos pelas instituições financeiras, no entanto, muitas vezes os lucros gerados não são suficientes para cobrir essa necessidade.

É quando entram em jogo as linhas de credito bancárias.

Se a captação desse tipo de recursos for feita de forma planejada, é uma opção válida e pode contribuir para o crescimento do negócio. Esse recurso é muito conhecido no mercado e tem o nome de “alavancagem financeira”.

Portanto, o cuidado com o capital de giro é uma constante, pois mesmo com vendas crescentes e boas margens de lucro, serão necessários mais investimentos, já que aumentar vendas significa também crescer os custos e despesas operacionais.

Esse cuidado vale também para os tempos de vacas magras. No período de queda nas vendas, é preciso lidar com equilíbrio a baixa no faturamento e um alto volume de estoque parado.

É possível passar pelo período, desde que se diminua os estoques e se ajuste o quadro de funcionários.

A arte da negociação com fornecedores e um planejamento antecipado são diferenciais para negócios que almejam a solidez e a sustentabilidade.

Teste: Você realmente Conhece seu Negócio? Responda essas Perguntas

Você pode não acreditar, mas existem muitas empresas que perdem dinheiro quando aumentam a venda de um determinado produto.

Por que isso? Porque elas simplesmente desconhecem seu negócio, sua lucratividade, o desempenho de sua linha de produtos.

Para conhecer mais sobre o seu negócio você precisa fazer muitas perguntas.

Pergunte-se sobre seus Produtos

Comece fazendo perguntas sobre seus produtos ou serviços:

  • Eles fazem sentido para quem, para quais mercados?
  • Comparado com os produtos ou serviços da concorrência, como ele se sai?
  • Estão obsoletos?
  • Estão sendo copiados?
  • Qual o custo da mudança?
  • É possível transformá-los de modo a ampliar a lucratividade que eles geram?
  • Aliás, você sabe qual a lucratividade que eles geram?

Pergunte-se sobre seus Preços

A questão da lucratividade vai nos remeter, certamente, à sua política de preços:

  • Você tem uma?
  • Como você define o preço do seu produto ou serviço?
  • Que variáveis você analisa?
  • Ou você apenas tenta vender seu produto ou serviço um pouco “mais barato que o do concorrente”?
  • Ou até mesmo tenta vender por um valor maior um produto sem diferencial algum?

Pergunte-se sobre seus Clientes

Variável fundamental é o conhecimento de seu cliente:

  • Você sabe o desempenho de cada cliente?
  • Sabe os custos que tem para atender cada um deles?
  • Conhece os mais importantes, os que geram maior lucratividade?
  • Você sabe quanto investe para atender cada cliente e como isso impacta seus resultados?

Estas informações são cruciais, pois permitem que você crie uma relação de clientes do mais importante e rentável àquele que só está te trazendo despesas e nenhum lucro.

Pergunte-e sobre Análise dos Processos internos

Não são poucos na literatura empresarial os casos de empresas que, por desconhecerem seus processos, conquistam clientes importantes que simplesmente não conseguem atender com a qualidade necessária:

  • Você conhece seus processos?
  • Sabe suas limitações?
  • Compreende o que terá que fazer caso tenha que aumentar a produção em 20%, 30% ou 100%?
  • E se precisar diminuir a produção, sabe como seus processos vão responder e que custo precisará cortar?

Pergunte-se sobre sua Atuação Geográfica

  • Você conhece o desempenho de seus produtos e serviços por localidade?
  • Como seus produtos se saem em São Paulo ou fora de São Paulo?
  • Existem oportunidades em outras regiões em que você não atua?

Veja um dado vital: uma administradora de cartões de crédito descobriu, após várias décadas, que 60% de suas perdas com fraudes estavam concentradas em uma única cidade do país.

Esta não é uma informação valiosa? Você conhece a geografia de seus negócios o suficiente para saber onde estão perdas e ganhos?

Pergunte-se sobre Pessoas

E, por fim, um dos itens mais importante:

Você conhece as pessoas que atuam em sua empresa e como elas contribuem para o resultado?

Eu abordo esse item em diversos artigos aqui no site, como esse sobre clientes e esse sobre equipe.

Saiba, de antemão, que o fator humano é decisivo para o sucesso ou fracasso de seu empreendimento, daí porque você precisa conhecê-lo em detalhes.

Em muitos momentos, conhecer todas estas informações enquanto você toca os negócios no dia-a-dia pode ser uma tarefa complicada e penosa.

Nesse sentido, receber ajuda externa pode ser valioso de diversas formas, pois profissionais de fora podem ver coisas que você já não vê, ajudando sua empresa na construção de um plano realmente significativo.

Conclusão: Gestão em Tempos de Crise é Possível

mulher desatando um nó
Em tempos de crise é normal nos sentirmos “amarrados” e tendo que desatar nós

Mas precisa se estar disposto a pagar o preço e entrar de cabeça e alma nesse processo.

Dependendo do seu perfil de empreendedor você naturalmente poderá tender a ser pessimista ou otimista em excesso. Qualquer um dos dois é errado.

Portanto, evite tomar decisões “no achismo” e parta para realmente entender a situação macro e focar nos indicadores.

Você pode errar – e permita-se errar e corrigir – acontece. Mas se embasar suas decisões em dados e indicadores reais, suas chances de acerto ficam muito altas. Sua gestão em tempos de crise agradece!

*Colaborou nesse artigo Fábio Tulio Felippe: diretor presidente da Jiva Gestão Empresarial, especializada em soluções de gestão empresarial para pequenas empresas.

Hey,

o que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.