SEJA RIGOROSO NA HORA DE ESCOLHER UMA FRANQUIA, ISSO EVITA A PERDA DO INVESTIMENTO

FranquiaPor Melitha Novoa Prado*

Nesta semana, acontece em São Paulo mais uma edição da maior feira de franquias do mundo, a ABF Franchising Expo – entre os dias 12 e 15 de junho, no Expo Center Norte. É uma boa oportunidade para os interessados em abrir uma franquia conhecerem franqueadoras nacionais e internacionais interessadas em expandir suas redes.

Sinto que, como o franchising está em alta, ainda há pouco critério quando alguém quer optar por um negócio. Porém, minha experiência me diz o contrário: é preciso ser mais rigoroso na escolha por uma franquia.

Acredito que muitos negócios surjam por puro modismo. São produtos e serviços novos, que agitam o mercado por um tempo, mas que não duram. O que aconteceu com os franqueados que investiram nestas novidades? Muitos perderam o dinheiro de uma vida! O país está carente de infraestrutura – e é por esta razão que novas franquias de serviços são bem-vindas – limpeza, jardinagem, reparos etc. Diante desta realidade, é impossível negar que tais negócios podem ser considerados extremamente atrativos.

É preciso fazer uma análise detalhada dos números apresentados pela franqueadora. Na ânsia por abrir uma franquia, as pessoas negligenciam o estudo de viabilidade financeira do negócio. Depois, reclamam que não conseguem se manter, que não veem perspectivas de reaver o investimento e se desmotivam. Muitos chegam a se endividar, não conseguindo cumprir os compromissos com a franqueadora. Uma dica: procure ajuda de quem entende de números se esta tarefa for difícil para você. Eles precisam ser vistos e revistos antes de assinar o contrato.

Outra questão complicada para quem abrir uma franquia é o custo de ocupação dos imóveis. Os preços cobrados, atualmente, quase sempre são abusivos. Muitas vezes, eles inviabilizam a operação. É papel da franqueadora ajudar o novo franqueado na escolha do ponto e na avaliação dele. E vale a dica: antes de assinar o contrato de aluguel, fique atento ao prazo do contrato – se ele coincide com o prazo do contrato de franquia – e se há cláusulas “mal intencionadas” que podem trazer problemas futuros.

É preciso entender como funciona o sistema de franchising e fazer uma autoavaliação para escolher um negócio que também tenha a ver com a sua realidade de vida. Quem não se identifica com a atividade escolhida também começa em grande desvantagem.

 

*Melitha Novoa Prado é advogada, consultora de varejo e redes de franquia que atua na área preventiva.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *